Uso Estratégico de Modelos de Negócio: Gerenciamento Estratégico

Postado em 6 de fev. de 2017 por Antonio Plais

Originalmente postado por Henry Franken*, no blog da BiZZdesign - Tradução autorizada

O termo "estratégia" é talvez um dos mais mal usados, e mal compreendidos, conceitos na literatura de negócios. Nesta série de postagens, nos referimos a estratégia como o posicionamento da empresa em relação ao seu ambiente. Pretendemos responder a estas questões: como podemos (a) melhorar os processos de gerenciamento estratégico através do uso de modelos, e (b) melhorar a execução/implementação de estratégias através do Gerenciamento da Arquitetura Corporativa?

Saiba mais ...

Uso Estratégico de Modelos de Negócio: Introdução

Postado em 5 de fev. de 2017, por Antonio Plais

Originalmente postado por Henry Franken*, no blog da BiZZdesign - Tradução autorizada

Os tempos estão difíceis: muitas empresas estão lutando para se manter à tona nos mares revoltos da economia. Muitas organizações tentam encontrar um "oceano azul" de espaço não ocupado, mas vamos encarar a realidade: a maioria de nós está presa no "oceano vermelho" com um monte de competidores, força crescente tanto de fornecedores como de clientes, e ameaça crescente de substitutos. Realmente, podemos argumentar que é tempo de "todos ao convés" para a maioria das organizações na sua luta pela sobrevivência.

Saiba mais ...

Lean e Arquitetura Corporativa: Os Sete Desperdícios Mortais dos Arquitetos Corporativos

Postado em 9 de out. de 2018 por Antonio Plais

Originalmente postado por Marc Lankhorst e Peter Matthijssen*, no blog da BiZZdesign - Tradução autorizada

Nas duas postagens anteriores desta série, nós delineamos as conexões entre o Gerenciamento Lean e a Arquitetura Corporativa. O foco do Lean está em dar pequenos passos para a melhoria dia após dia. A eliminação de desperdícios e o foco no valor para o cliente são elementos centrais no Lean. A Arquitetura Corporativa foca nos resultados de longo prazo mas, como vimos na postagem anterior, uma perspectiva Lean é também muito poderosa para Arquitetos Corporativos. Nós discutimos os sete desperdícios mortais nas arquiteturas corporativas, tais como o trabalho manual desnecessário, o excesso de funcionalidades e a complexidade. Identificar e visualizar os desperdícios na Arquitetura Corporativa nos permite fazer melhorias.

Saiba mais ...

Lean e Arquitetura Corporativa: Os Sete Desperdícios Mortais nas Arquiteturas Corporativas

Postado em 8 de out. de 2018 por Antonio Plais

Originalmente postado por Marc Lankhorst e Peter Matthijssen*, no blog da BiZZdesign - Tradução autorizada

Na postagem anterior, falamos sobre como a filosofia Lean e a Arquitetura Corporativa podem se ajudar para atingir o objetivo de melhorar o desempenho das organizações. Nesta postagem, aprenderemos a identificar os desperdícios mais comuns encontrados as arquiteturas corporativas.

No Gerenciamento Lean, muito tempo é gasto encontrando e eliminando desperdícios. Nossos processos e organizações são cheios de desperdícios. Na filosofia Lean, estes desperdícios não deveriam ser tratados como 'problemas', mas como oportunidades de melhoria.

Saiba mais ...

Lean e Arquitetura Corporativa: os Opostos se Atraem

Postado em 7 de out. de 2018 por Antonio Plais

Originalmente postado por Marc Lankhorst e Peter Matthijssen*, no blog da BiZZdesign - Tradução autorizada

Ao longo das últimas décadas, o Gerenciamento Lean se provou ser muito poderoso na melhoria do desempenho dos processos de negócio da organização. Ao mesmo tempo, a Arquitetura Corporativa surgiu como uma disciplina para controlar a complexidade das organizações, seus processos, informações e TI. A primeira vista, as duas abordagens parecem ser de natureza bem diferentes. Onde o Lean enfatiza a ação local, ciclos rápidos de aprendizagem e melhoria de baixo para cima feita por aqueles que realmente fazem o trabalho (o quadrante em baixo à esquerda na figura abaixo), a arquitetura corporativa foca na coerência através de toda a empresa, transformações de negócio de longo prazo e em traduzir a estratégia nas operações (acima à direita na figura).

Saiba mais ...